Crédito: Fotojump

O brasileiro Thomaz Bellucci anunciou nesta quinta-feira (4) em entrevista coletiva que foi pego no exame antidoping realizado no torneio ATP 250 de Bastad, na Suécia, em julho de 2017. O ex-número 1 do Brasil foi pego por conta da substância hidroclorotiazida (diurético), encontrada em um multivitamínico com contaminação cruzada, e está suspenso até 31 de janeiro.

A hidroclorotiazida é uma substância proibida pela WADA/ITF. No caso de Bellucci, considerando que ele joga longas partidas e perde muito líquido/peso naturalmente, além de ter sudorese excessiva (diagnosticada há anos por seus médicos), o uso da hidroclorotiazida não lhe traz nenhum benefício e sequer aumento de performance.

“Jamais tomei algum tipo de suplemento, ou qualquer outra substância que fosse me favorecer ou que fosse infringir as regras do fair-play do esporte. Nunca poderia imaginar que um multivitamínico feito em uma farmácia de manipulação pudesse sofrer contaminação cruzada em doses mínimas. Sempre tomei todos os cuidados e respeitei as regras do esporte. Foi justamente em um momento em que eu estava me recuperando de lesões (tornozelo) e fazendo uma transição importante na minha carreira, de mudar para a Flórida, montar uma base de treinamento lá para atingir o meu máximo potencial no circuito nos próximos anos”, lamentou Bellucci.

“Após longa análise dos fatos pela ITF, a entidade optou por uma pena branda de 5 meses, o mínimo possível em um caso desses, que poderia ser de até 4 anos, tendo levado em consideração a diligência e reputação do Thomaz, bem como todas as provas médicas e científicas apresentadas, somadas ao consumo não intencional da substância e à ausência de melhora da performance. A decisão final foi tomada no dia 31 de dezembro, sem necessidade de uma ida ao tribunal. Alcançou-se um acordo entre as partes”, explicou o advogado Pedro Fida, que também está cuidando do caso do atacante peruano Paolo Guerreiro.

“Fiquei muito chocado com tudo isso que aconteceu, e tomarei todas as medidas judiciais contra a farmácia de manipulação e responsáveis por este erro que prejudicou minha carreira, além de denunciá-los aos órgãos competentes. Além do meu caso, muitos atletas que correm o risco de serem prejudicados por erros e falhas regulatórias semelhantes. Mas não deixei de cuidar do meu físico. Perdi meses importantes para mim no circuito e agora é bola pra frente. Já estou indo para os Estados Unidos para treinar e não vejo a hora de voltar a competir,” complementou o brasileiro.

O canhoto de Tietê estava sem jogar desde o US Open e neste período, alegou que estava com uma grave lesão no tendão de Aquiles, outro motivo para seu afastamento das quadras. Os próximos torneios de Bellucci serão na gira de saibro da América do Sul, no ATP de Quito, ATP 500 do Rio de Janeiro e o ATP 250 de São Paulo.