Crédito: Fotojump

O brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray foram eliminados na noite desta sexta-feira e se despediram do Rio Open 2017. A dupla formada pelo espanhol Pablo Carreno Busta e o uruguaio Pablo Cuevas venceu com parciais de 6/4, 3/6 e 12-10 após 1h22 de partida.

“Foi o melhor ano que joguei aqui. O jogo hoje foi bom. Infelizmente eles (Carreno Busta e Cuevas) estavam muito firmes e jogaram muito com o primeiro saque. A gente sacou muito bem. Foi um jogo muito parelho. Tivemos match point. Foi realmente no detalhe. Fizemos uma boa campanha, mas não estamos na final, uma pena. Nos outros anos achei que não estava jogando bem. Mas esse ano fiquei chateado porque jogamos bem com um nível bom de tênis. Aqui no Rio Open foi a derrota mais doída”, comentou o mineiro de 34 anos de idade.

+Leia mais: Semi de simples e final de duplas neste sábado no Rio Open

Bruno falou que os rivais jogaram bem nestas condições e deixou sua opinião sobre a bola do torneio. “A gente precisava ser agressivo, tomar a iniciativa e tirar eles do conforto. Mas nessas condições ficou complicado, devolução é meu ponto forte e hoje errei muitas bolas. Não sou muito fã dessa bola Head, que nivela o jogo por baixo. Vários tenistas fazendo erros grotescos. Isso não acontece tanto com bolas mais pesadas”, acrescentou o atual #8 do mundo.

 

Soares ainda se mostrou otimista para a sequência de torneios ao lado de Murray. “Por incrível que pareça, a quadra em Acapulco (próximo torneio) é bem lenta. Não sei qual vai ser a bola lá, mas espero que não seja parecido com aqui. Mas em termos de dinâmica de jogo vai ser pouca coisa para adaptar. Vamos para a sequência de torneios em nosso melhor piso (rápido)”, finalizou o atual número #1 do Brasil em duplas.

Compartilhar
Vinicius Araujo
Fundador e editor do Tennis Info desde 2015. Apresentador do podcast Backhand na Paralela. Atuou na cobertura de grandes torneios como Roland Garros, Miami Open, Rio Open e Brasil Open