Reprodução Twitter

O Australian Open começa na próxima semana e, por ser um dos quatro Grand Slams do ano, movimentará uma alta quantidade de pontos nos rankings da ATP e da WTA. Com isso, é natural que, ao fim da competição, mudanças significativas aconteçam nas listas.

Veja também:
10 confrontos para ficar de olho na primeira rodada do Australian Open
Confira a chave completa de simples masculino do Australian Open
Sharapova tem caminho difícil no Australian Open; veja a chave completa

Por isso, o Tennis Info selecionou alguns jogadores de peso que podem sofrer com mudanças drásticas em sua posição após o torneio em Melbourne. Inclusive, as disputas pelo topo do ranking, tanto entre os homens como entre as mulheres, estão abertas.

Topo do ranking masculino

A disputa pelo número 1 da ATP, na Austrália, se resume a Roger Federer e Rafael Nadal. E a conta é bastante simples. Para superar o espanhol, o suíço precisa repetir o título de 2017 e torcer para Rafa chegar, no máximo, às oitavas de final. Qualquer outra combinação mantém o Rei do Saibro no topo.

Liderança da WTA

Foto: Reprodução Twitter/Shenzhen Open

A primeira posição da WTA também está em jogo no Australian. Nada menos do que seis tenistas podem sair da competição como líder. Além de Simona Halep, atualmente no topo, Caroline Wozniacki (2ª), Garbiñe Muguruza (3ª), Elina Svitolina (4ª), Karolina Pliskova (6ª) e Jelena Ostapenko (7ª) estão na luta.

As duas últimas têm as situações mais adversas na briga, dependendo de ganharem o título e ainda contarem com outras combinações. Wozniacki e Svitolina, no mínimo, precisam ir até a semi, e Muguruza até a final. Se nada disso ocorrer, ou se a própria romena conseguir bom desempenho, Halep segue na ponta.

Saltos de Del Potro e Djokovic

Foto: Reprodução Twitter/Kooyong Classic

O argentino Juan Martín Del Potro (12º) e o sérvio Novak Djokovic (14º) são dois dos candidatos a darem um grande salto após o Australian Open. O primeiro não jogou em 2017, enquanto o segundo defende apenas 45 pontos por ter caído precocemente, na segunda rodada.

Assim, se conseguirem ir longe no torneio, devem crescer bastante. Por exemplo, se for campeão pela sétima vez em Melbourne, o europeu tem boas chances de voltar ao top 5 da lista, subindo quase dez posições. Delpo vive situação semelhante em caso de troféu. Ele voltará a ter lugar entre os 10 melhores na próxima semana.

Serena Williams perderá todos os pontos

Foto: Reprodução Twitter/Mubadala Tennis

O que será inevitável após o primeiro Slam do ano é a saída de Serena Williams do ranking da WTA. Atualmente em 23º lugar, a norte-americana tem 2000 pontos, todos da conquista do Australian em 2017. Grávida, ela não voltou a jogar no ano passado e, agora, desistiu de voltar ao circuito em Melbourne. Assim, não terá nenhuma competição válida para seguir na lista.

Sharapova pode dar grande salto

A russa Maria Sharapova não jogou em Melbourne em 2017, por conta da suspensão por doping. O lado bom disso é que, para a edição deste ano, ela entra sem nenhuma pressão de defender pontos. E se conseguir um grande desempenho, dará um importante salto.

No 47º posto, ela chegará entre as 15 se for campeã e, dependendo das combinações, pode até flertar com as 10 primeiras posições. A ex-número 1 deixou o top 20 em maio de 2016, já cumprindo a suspensão, e agora sonha com o retorno.

Wawrinka corre risco de queda

Foto: P. Montigny/FFT

A presença de Stan Wawrinka, número 9 do mundo, no Australian Open se tornou incerta após o suíço adiar seu retorno às quadras por conta de lesão no joelho, que já o tirou da segunda metade de 2017. De qualquer forma, ele está na chave e estreia contra o lituano Ricardas Berankis (138º).

Por ter alcançado a semifinal na última edição, Stan entra com 720 pontos a defender, número relevante. Assim, uma queda na primeira semana fará o ex-top 3 deixar o grupo dos dez melhores. Nem mesmo sua permanência entre os 15 está garantida em caso de queda na estreia.