Tivemos hoje mais um grande jogo, digno de final de Grand Slam, de um lado a melhor dupla de todos os tempos, os campeões Bob e Mike Bryan, os americanos buscavam seu terceiro título em terras parisienses, e seu 18º ano Major, ano passado eles perderam para o brasileiro Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig, buscavam mais um título. Do outro lado, tínhamos uma dupla espanhola, Feliciano Lopez, e o experiente Marc Lopez.

O jogo

Uma partida equilibrada, assim como já esperávamos quando o troféu é tão importante, os americanos jogaram sempre com o saque mais pressionado, depois de oito tentativas, os espanhóis finalmente conseguiram uma quebra e fecharam o set em 6/4.

No segundo set, os espanhóis chegaram a abrir vantagem, mais logo viram o placar igual novamente, o Bob/Mike aproveitavam o saque de Marc para empate, já que Feliciano tem um serviço mais potente – talvez porque também é um excelente jogador em simples. O set foi para o tie-break, cheio de reviravoltas, com as duas duplas com chances para ganhar, com uma bola na rede de Feliciano, os Bryan fecharam 7/6(8), levando o jogo para o terceiro e decisivo set.

No terceiro, vimos um dos grandes jogadores da atualidade em ação, o “baixinho” Marc Lopez, jogou como nunca, tivemos ainda um Feliciano muito eficiente nos saques e principalmente cobrindo a rede.

No set decisivo parecia que ia ser a repetição do segundo, espanhóis quebraram, americanos devolveram e empatavam, mais tivemos mais uma quebra com uma linda direita de Feliciano, abrindo assim 5/4 e ficando a um game do tão sonhado título, dessa vez o saque era de Feliciano Lopez, e ele sacou como nunca, dificultando a devolução americana, com um lindo ace, selou a partida e o campeonato.

2 sets a 1 para os espanhóis, campeões de Roland Garros.

Esse é o primeiro título espanhol em duplas desde Sergio Casal e Emilio Sanchez em 1990.

Emoção

A emoção foi o tom do discurso dos campeões na quadra Philippe-Chatrier, os dois jogadores falaram com lagrimas nos olhos, Feliciano agradecendo a torcida. O mais emocionado era sem dúvida o experiente Marc Lopez (33 anos), ele já tinha batido na trave duas vezes, ele foi vice-campeão no Us Open e no próprio Roland Garros, ambos em 2014, dessa vez com outro parceiro Marcel Granollers, chorou muito e lembrou seu falecido pai:

 “Não tenho palavras. É o dia mais feliz da minha vida, eu estou no meu torneio favorito, é a minha segunda final aqui e ganhar é um sonho. É o primeiro Grand Slam que ganho e faço contra os melhores da história’

lopez

Emoção espanhola

Novo número 1

Com a eliminação de Marcelo Melo nas semifinais, pelos próprios espanhóis, o novo número 1 do mundo, é o francês Nicolas Mahut.