Federer e Murray, no Match for Africa 3, em Zurique - Reprodução / Twitter

O suíço Roger Federer quase não teve tempo de agradecer Andy Murray por ter aceitado jogar uma partida amistosa pelo “Match for Africa 3“, na cidade de Zurique, na Suíça. Isso por que o ex-número 1 do mundo tem outra exibição contra John Isner e o fundador da Microsoft, Bill Gates, marcado para o dia 29 de abril, em Seattle, Washington.

Leia mais:
Review: Tênis Nike modelo Zoom Vapor 9.5 Flyknit
Feijão vence a primeira no Challenger de San Luis Potosi

Para um futuro próximo, o desejo é ter outro Match for Africa na África do Sul, onde há um dos dois centros da Fundação Roger Federer (o outro é em Zurique). “Eu gostaria de jogar na África do Sul”, admitiu o suíço, que em sua longa carreira jogou no continente africano apenas uma vez, em um confronto de Copa Davis contra o Marrocos em 2002.

“Até agora não foi possível, mas seria um sonho para mim fazê-lo. Agora eu tenho mais tempo para participar de eventos de caridade, porque eu não jogo tanto quanto no passado. Então, há mais chances de participar de outros jogos para a África.”, disse Federer.

Sobre a exibição em Seattle, Federer agradeceu Bill Gates por ter aceitado o convite. “Perguntei para ele há alguns anos atrás sobre essa possibilidade, e agora fiquei muito surpreso com sua disponibilidade. Ele ama muito o tênis.”

A ideia de jogar em Seattle no fim de abril veio de Roger, durante o torneio de Dubai em fevereiro, onde ele teve sua única derrota no ano, para Evgeny Donskoy. “Em Dubai eu percebi que eu precisava de uma pausa. Depois de Indian Wells e Miami, entendi que jogar na temporada no saibro pode ser muito para mim.”

De qualquer forma, será um mês ocupado para Federer, que vai participar da Gala Met em Nova York no dia 1º de maio com Anna Wintour. “Depois de decidir de não jogar a primeira parte da temporada de saibro, pensei que seria interesante assistir à Gala e passar o fim de semana na América.”

Enquanto isso, nas próximas duas semanas, ele vai treinar em quadras duras e descansar por algum tempo ao lado de sua família, na Suíça. Na sequência, depois de passar pelo “tour” nos Estados Unidos, ele volta a treinar no saibro em meados de maio. Se tudo correr bem e não ter nenhuma questão física para atrapalhar, ele estará em Roland Garros.

Compartilhar
Jonas Furlan
Descobriu o tênis em 1993, quando jogava Tennis Ace no Master System. Anos depois, um de seus tios emprestou uma raquete e nunca mais parou de jogar. É fundador do Portal Rackets e cobre o tênis nacional e internacional há mais de seis anos.