Divulgação Wimbledon

O que acontece com esses mineiros duplistas meu Deus!

Será o pão de queijo ou o queijo mineiro?

Vem André Sá, Bruninho Soares fantástico em duplas com títulos em Grand Slam, e essa conquista magnifica sem precedentes no masculino do Marcelo em Wimbledon.

Também o Demoliner que não é mineiro, mas está se revelando em duplas, deve estar comendo queijo também, rs.

Pois sim, temos nossa rainha no feminino em Wimbledon, a fantástica majestade Maria Esther Bueno.

Temos nosso querido GUGA fantástico tricampeão em Rolland Garros e muitos títulos mais e pessoa fantástica também!

Guga Junto com meu irmão Jaime em duplas, que também foi vice-campeão em duplas mistas em Rolland Garros (não é por ser meu irmão, mas foi top duplista), trouxeram muitas alegrias para o Brasil na Davis.

E agora Marcelo em Wimbledon. Já havia conquistado o vice-campeonato em 2013 batendo na trave.

O pão de queijo e o queijo podem ter ajudado um pouquinho, mas na realidade isso é fruto de muito suor, dedicação, estudo, disciplina, amor ao esporte.

Ele mudou de parceiro e dava para observar que em cada jogo ia acontecendo aquele casamento especial entre ele e o parceiro.

Fizeram 3 jogos duríssimos ganhando no quinto set.

Apesar de ter um parceiro para dividir a bronca, jogar duplas não é simples assim.

Precisa de muita conversa, como todos assistem em cada ponto, os jogadores com a mão na frente da boca para abafar o som e manter a coisa entre eles, assim não passam recibo aos adversários.

A energia tem de estar sempre em alta, pois nas duplas acontece de os 2 jogadores terem momentos bons e momentos difíceis durante a partida. Não dá para deixar cair a peteca, pois numa dessas pode custar o set e o jogo, tudo é muito rápido.

Observar conforme a partida anda se não repetem os mesmos erros, constantemente observando se a dupla adversaria está alterando estratégia e alterar se necessário também.

E os momentos decisivos em que os 2 devem estar trabalhando em uníssono com a vibração lá em cima como quando Marcelo e Kubot quebraram o ultimo saque dos adversários com quarenta a zero, conquistando o título.

Foram 4 respostas de saque fantásticas no último game, depois de quase 5 horas de jogo conversaram, decidiram e foram para a vitória.

Nessa hora fica a experiencia dos jogos anteriores e os jogadores sabem e sentem que tem de reunir toda a energia lá do fundo apesar do cansaço físico e principalmente mental e ir para a decisão.

E a movimentação e posicionamento do Marcelo na rede, impecável com um enorme aproveitamento da resposta de saque do seu parceiro Kubot. Marcelo aproveita muito bem sua estatura, voleia muito e quase impossível de lobar. Também melhorou muito o seu segundo saque, agora bem mais potente e fundo fazendo muita diferença, facilitando o trabalho do seu parceiro.

Penso que os brasileiros estão de parabéns também exaltando a Bia Haddad Maia, que na minha opinião, tem potencial de top 10!

Que os incentivos tanto das entidades como das empresas aconteçam com maior vigor, acreditando no tênis brasileiro.

Que essa vitória do Marcelo como dos outros nossos campeões aproxime os brasileiros que estão na luta no circuito, bem como os jovens valores, que as vezes enxergam tão longe a possibilidade das grandes vitorias.

Que a tela desse sonho vá se tornando mais real e que os brasileiros se valorizem cada vez mais!

E que esse trem bão siga como uma locomotiva abrindo novos caminhos e possibilidades.

Grande abraço e até mais.

Compartilhar
Eduardo Oncins
Como profissional participou de todos os Grand Slams, integrou a equipe da Copa Davis em 1982 e com 15 anos já tinha pontos na ATP. Além do tênis é faixa preta de Aikido e utiliza várias técnicas da arte marcial como ferramenta para o desenvolvimento de tenistas.