Tem sido muito interessante a caminhada desses 2 monstros até agora, já quase no final do ano.

Federer começou o ano arrebentando, ganhando Aberto da Austrália, Wimbledon e 4 outros torneios, até chegar no Aberto do Canadá e jogar um tênis bem abaixo do que no começo do ano alegando dor nas costas.

Assistindo todo o torneio do Canadá, me parecia que Roger estava parando e pensando demais, chegou na final tropeçando nos jogos e perdeu para Zverev.

Depois disso, estava evidente que estava tentando buscar aquela confiança novamente, mas mesmo assim sem tantos resultados convincentes.

Gostei como jogou a Laver Cup, ganhando do Australiano Kyrgios no jogo decisivo.
Penso que aquele espirito de equipe e incentivo por parte dos colegas de time e também alguns de seus maiores adversários do circuito, lhe deram um novo gás. O jogo de duplas junto com Rafa Nadal, claramente demonstrou que estavam se divertindo e com muita competição na veia.

Em Xangai, Roger vem ganhando confiança novamente e hoje num jogo emocionante ganhou de DEL Potro. Mas no meu ver, ainda não jogou no nível do começo do ano.

Rafa Nadal: O espanhol estava tropeçando um pouco no começo do ano, e estava claro que necessitava subir seu nível de jogo. Sem contar com seu decimo Rolland Garros que é seu quintal no saibro, estava tendo problemas nos outros pisos perdendo para jogadores que estavam começando a perder um pouco o respeito por rafa.
Faltava mais punch para Nadal, agressividade, arriscar mais, vir a rede, ousar mais.

Rafa Nadal, ao meu ver, seu turning point, salto do gato, foi no jogo contra Mayer no US Open, quando depois de ter 14 breaks points, virou o jogo e sentiu a força do seu espirito guerreiro voltar contudo de novo. No jogo seguinte contra Del Potro, estava tomando um vareio perdendo o primeiro set, com o argentino disparando direitas por todo lado.

Rafa teve que tomar a grande decisão que tenho certeza que já vinha sendo discutida com seu tio e time. Hora de elevar o nível de jogo antes de ser derrotado novamente.
Começou a jogar um tênis incrível, atacando mais com seu melhor golpe, seu forehand, mudando mais a direção dos golpes, jogando mais dentro da quadra tomando mais as rédeas do jogo, vir a rede, inclusive sacar e volear as vezes.
Estava claro agora, qual era a receita do bolo do Rafa Nadal.

Ganhou o US Open com grande louvor e saindo de lá com o caminho traçado para encontrar e jogar seu melhor jogo, tendo certeza de como REGAR SUA CONFIANÇA, a palavrinha mágica mais pronunciada por todos os jogadores do circuito.

Hoje contra Cilic, que jogou um tênis agressivo incrível, com o saque e forehand, bem acima da média, faltando um pouco mais de inteligência estratégica para Cilic, Rafa se mostrou implacável, passando a imagem da determinação e confiança na busca de seus objetivos maiores.
Portanto amigos, amanhã de madrugada preparem-se para grandes emoções, pois será uma guerra de quem ousar mais, demonstrar e cultivar mais confiança nos grandes momentos.

Meu palpite para amanhã, pelo histórico até agora, sou Rafa Nadal. Mas Roger pode sempre surpreender.

Excelente espetáculo na madrugada, eu acordarei, kkkkkkkkkkk. Abraços.

Compartilhar
Eduardo Oncins
Como profissional participou de todos os Grand Slams, integrou a equipe da Copa Davis em 1982 e com 15 anos já tinha pontos na ATP. Além do tênis é faixa preta de Aikido e utiliza várias técnicas da arte marcial como ferramenta para o desenvolvimento de tenistas.