Jaime Oncins na premiação com seus filhos Eric e Sabrina. Foto: Divulgação Facebook

Bom pessoal, essa coluna originalmente era para ser quinzenal, mas não me segurei pois a notícia é um grande orgulho para mim e família

Meu irmão Jaime mudou-se para os Estados Unidos há 2 anos e meio. Nesta terça-feira, Jaime recebeu a homenagem de treinador do ano da Montverde Academy, academia de tênis que pertence a uma das escolas mais conceituadas do país. Entre todos os treinadores de diferentes modalidades ele foi eleito o melhor do ano!

Jaime vem realizando um trabalho excepcional com a garotada que vai estudar e jogar tênis pela escola, ou fazer uma temporada de treinos com ele e equipe. A garotada que defende as bandeiras da escola, sagraram-se campeões do Florida State Championships, feito inédito, sob a orientação do Jaime, com muita bravura, espírito de equipe, todos apoiando seus companheiros, inclusive os de outros esportes apoiando seus colegas de escola.

Conheço bem meu irmão por termos trabalhado muito juntos, sei da humildade, da qualidade e do coração que coloca em tudo que faz.

Humildade por ele estar sempre observando, revendo seus conceitos, sempre dando atenção a todos que o procuram, escutando e buscando soluções. Qualidade com toda sua bagagem como jogador e treinador, conhece o caminho das pedras e o quanto você tem de ralar para conquistar seu espaço neste esporte, que é um dos mais competitivos do mundo. Coração é o que coloca com amor em seu trabalho, que tenho certeza que deixa de ser trabalho e se torna um grande prazer.

Com esses ingredientes a fórmula do sucesso está montada.

Daí vem o reconhecimento, que os norte-americanos nos dão uma aula. Nos EUA, quem é bom no que faz, tem o reconhecimento de todos. Faz parte da cultura, desde pequenos, aprender a reconhecer e cultivar na memória os exemplos a serem seguidos.

Nos esportes competitivos as conquistas são sempre lembradas, as homenagens pertinentes são realizadas com louvor, os role model (exemplos a serem seguidos) são respeitados e valorizados. Tudo isso cria uma cultura de valorização esportiva motivacional constante. O poder chegar no topo, psicologicamente fica mais ao alcance de todos que buscam.

O trabalho em equipe é muito valorizado, como Jaime exaltou em suas palavras de agradecimento na homenagem! Sempre observei que tudo isso falta aqui no Brasil! Força irmão, continue com seu maravilhoso trabalho e exemplo para todos!

Abração do mais velho!

#FICAADICABRASIL

Compartilhar
Eduardo Oncins
Como profissional participou de todos os Grand Slams, integrou a equipe da Copa Davis em 1982 e com 15 anos já tinha pontos na ATP. Além do tênis é faixa preta de Aikido e utiliza várias técnicas da arte marcial como ferramenta para o desenvolvimento de tenistas.