Foto: AELTC/Bob Martin

O foco do tênis mundial está voltado para o tradicional torneio de Wimbledon e para complementar os resultados que o TENNIS INFO divulga a todo momento, elencamos cinco curiosidades sobre a história deste evento que reúne quase 500 mil torcedores de todo o mundo até o dia 10 de julho. Vejam que interessante:

1 – Da cabeça aos pés, o tenista precisa obrigatoriamente utilizar uniformes brancos – até mesmo os trajes íntimos. Foi assim na primeira partida realizada em 1877 e desta forma a tradição permanecerá. Vale lembrar que até 1946 os homens jogavam com calças compridas, enquanto as mulheres somente após os anos 30 puderam competir com saias acima do joelho, duas exigências do torneio perante os competidores. Agassi quase se recusou a entrar de branco na quadra. Mas, esta regra já foi quebrada uma vez apenas. Nas Olimpíadas de Londres, em 2012, a direção do All England Club permitiu trajes coloridos.

Murray com uniforme colorido na quadra central do All England Club
Murray com uniforme colorido na quadra central do All England Club

2 – Os ingressos para Wimbledon são caros, mas o preço não é lá o grande problema. A maior dificuldade está em conseguir estes ingressos. Todo ano, alguns meses antes da realização do torneio, ocorre um sorteio online entre fãs interessados. Quem não consegue um ingresso por meio deste sorteio e tampouco quer pagar quase R$ 2 mil, na revenda de qualquer site por uma entrada na rodada de abertura e R$ 15 mil para a decisão masculina, acaba entrando na “fila”, a chamada The Queu, onde as pessoas acampam e passam a noite em um parque próximo ao complexo para conseguir ingressos em cima da hora. Muitas vezes essas entradas pertencem a pessoas quem assistiram alguns jogos durante o dia, mas foram embora à tarde, por exemplo.

3 – A quadra de número 13 não existe em Wimbledon, simplesmente por superstição. No total, o complexo apresenta 19 quadras, além daquelas que são exclusivamente para treinos, localizadas no Aorangi Park. Num evento como este, 250 pegadores de bola são contratados. Vale lembrar que há uma peneira rigorosa para esta seleção e quem for escolhido receberá 150 pounds pelo trabalho de duas semanas.

4 – O jogo mais longo de tênis aconteceu em Wimbledon, levou três dias para ser finalizado, totalizando 11h05min de jogo. O norte-americano John Isner derrotou o francês Nicolas Mahut com 6-4, 3-6, 6-7 (9), 7-6 (3), 70-68. Na quadra 18, existe uma placa com todas explicações deste fato histórico, que neste ano completa seis anos desde a épica partida.

5 – Se você não tiver a oportunidade de ir à Wimbledon na época do evento, você deve visitar o complexo quando estiver de passagem por Londres. Por lá, pagando 11 libras, você faz um belíssimo tour pelas quadras central e 1, passa pelas quadras secundárias, conhece o famoso Henman ou Murray Hill, onde os fãs sem ingressos para as principais quadras acompanham tudo em um telão dentro do complexo, passa pela sala de imprensa e faz uma visita completa pelo museu. É lá onde estão os troféus dos campeões, roupas, raquetes e tênis utilizados e doados por campeões do torneio e uma experiência 3D com John McEnroe em holograma, contando fatos sobre Wimbledon. Há cortes históricos de jornais com matérias da época em que a Rainha XX, da Inglaterra, entrou na chave para competir. Um passeio imperdível para amantes da bolinha amarela!

Fontes: Wikipedia e R7

Compartilhar
Marcus Vinicius Araujo
Marcus Vinicius Araujo é jornalista e relações públicas apaixonado por tênis desde os 15 anos de idade. Trabalhou na academia Oncins Tennis com os irmãos Oncins. Viu Borg, Koch, Mandarino, Ilie Nastase , Ion Tiriac, além de Kyrmayr, Mattar, Guga e outros tenistas profissionais jogarem. Até hoje adora jogar este difícil esporte de raquetes.